JUSTIÇA justa

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E se as leis fossem simples. Elas não são. Normalmente, é

necessário um complexo processo de justiça/injustiça para se obter

uma resolução de um caso, que muitas vezes é alterado e alterado

em sucessivos recursos.

 

As leis deveriam simplificar o que é complicado entre as relações

humanas. Parece lógico. Mas, as leis muitas vezes complicam,

contradizem-se, rivalizando os casos mais agúdos de esquizofrenia.

Com o desgaste em tempo e recursos financeiros, o cidadão acaba

por ser injustiçado, independentemente do resultado final da

decisão judicial.

 

Haverá interesse em leis complexas, que por vezes, nem os

tribunais mais altos na hierarquia da justiça conseguem vereditos

unânimes? Com leis simples, possivelmente não havia necessidade

para advogados, ou juízes, ou... Leis simples seriam facilmente

entendidas por todos. Justiça ao alcance da população.

 

A quantidade de legislação afoga qualquer tentativa de perceber

como funcionam as regras da nossa sociedade. Será mesmo

necessário ser assim? Leis para quase tudo. Há leis para situações

quase impensáveis. Quando qualquer coisa falha na sociedade, a

primeira resposta de um político (muitas vezes advogado de

formação) é legislar.

 

Quanto mais leis, mais estado, mais burocracia, mais despesa

pública, mais corrupção. Mas, pelo menos haverá menos

desenvolvimento económico. O problema é que isso, não é bom.