O poeta, António de Campos

 

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como poeta/escritor, tudo começou no início, de tenra

idade.

 

Em 1986, houve uma publicação de um poema, na revista

«Peregrinação».

 

Em 1998, houve a publicação do livro «Perplexidades Sonoras»,

sobre poesia de sentido de humor leve.

 

Em 1999, outra publicação, do livro «Amut», sobre poesia lírica de

temas amorosos.

 

Participação em 1999, numa outra publicação, «Eispoesia»,

sobre poesia em memória do poeta José Régio.

 

Existem também outras atividades que, paralelamente ou não, se

desenvolveram, como na arquitetura, nas artes plásticas, na escrita

(romance, contos), na banda desenhada, no ensino.

 

Em destaque, estão os livros publicados:

«Fantasiarktura» em 1996, sobre ideias e fantasias arquitetónicas;

«O Caminho» em 2013, conto romântico de BD em formato digital,

com versões em português, inglês e mirandês.

 

E, muitos outros ofícios, especialmente no tempo de estudante,

também foram praticados, como na limpeza de jardim, na limpeza de

neve, distribuição de jornais, caixeiro viajante, em padaria, no

restaurante, na construção, numa lavandaria industrial, na

biblioteca escolar, na cantina escolar, na orientação de colegas

estudantes, numa fábrica de tintas, numa fábrica de componentes

electrónicos, numa fábrica têxtil ou numa fábrica de produtos

isoladores.

 

Também presente, a participação em associações culturais,

sociais, artísticas, como a Sol-Eiras, a Real Associação de Coimbra,

a Associação dos Gravadores de Évora, etc.

 

Para comunicar, o domínio (entre o completo e o mínimo) de

algumas línguas, como o português, o inglês, o castelhano, o

francês, etc.